Três novas exposições no IEAVi

O 1º Prêmio IEAVi – Incentivo à produção de Artes Visuais inaugura três exposições de artistas do interior do Estado no dia 26 de janeiro, às 19h, na Casa de Cultura Mario Quintana. Rogério Severo, de São Leopoldo, apresenta a instalação Fundear na Galeria Augusto Meyer (3º andar). O grupo Superfície, composto por sete artistas mulheres de Pelotas, apresenta suas pinturas coletivas na exposição Multiplicações, no espaço Maurício Rosenblatt (3º andar). O grupo Ponto de Fuga – Coletivo em Arte, de Montenegro, também composto somente por artistas mulheres, traz a instalação Alfa/Teta, na Fotogaleria Virgílio Calegari (7º andar). A visitação segue até o dia 4 de março.

 

Fundear – Rogério Severo

A exposição consiste numa instalação composta basicamente por dois tipos de linhas. A primeira, de aço em forma de fita, funciona como uma espinha dorsal dando sustentação a toda a composição. Esta fita produz uma força de tração sobre outra linha, sintética e flexível. Outros fios flexíveis tencionados aparecem de diferentes formas, tanto em composições desordenadas como se fossem rabiscos, como em um único tirante, que une as pontas de um arco. A partir daí surgem estruturas delgadas que se expandem, ocupando o espaço da galeria.

 

Multiplicações – Grupo Superfície

Nesta exposição, sete artistas dividem um único suporte com pinturas produzidas coletivamente, numa lógica de trabalho que demonstra ser possível o viver junto também plasticamente. O agregar de experiências apresenta como resultado o fruto de um ato coletivo em que ao dividir o espaço a soma poética multiplica as possibilidades e subtrai o individualismo.

 

Alfa/Teta – Ponto de Fuga Coletivo em Arte

A instalação adentra no mundo dos sonhos, onde o inconsciente se manifesta de forma subjetiva, sendo sua concepção estreitamente relacionada a fragmentos de memórias. Os sonhos entram aqui como o canal de expressão dessas memórias, combinadas com elementos fantasiosos, próprios do ato de sonhar. Assim, todos os elementos que compõem o espaço – travesseiros, casas, mesa, balanço e baú – são fragmentos que remontam aos tempos de criança e persistem na memória ou nos próprios sonhos até os dias atuais.

Serviço:

Exposição Fundear

Local: Galeria Augusto Meyer -3º andar da CCMQ

Exposição Multiplicações

Local: Espaço Maurício Rosemblatt – 3º andar da CCMQ

Exposição Alfa/Teta

Local: Fotogaleria Virgilio Calegari – 7º andar da CCMQ

Abertura: 26 de janeiro de 2012 (quinta-feira), às 19h.

Visitação: 27 de janeiro a 04 de março. Segundas-feiras, das 14h às 21h; terças a sextas-feiras, das 9h às 21h; finais de semana, das 12h às 21h.

 

Texto: Asscom Sedac