Diretoria Artística Cultural – 2013

A Diretoria Artística Cultural desempenha o papel de articulador das políticas da secretaria que se relacionam com os institutos – as linguagens artísticas (música, cinema, artes visuais e cênicas), com o objetivo de planejar, acompanhar e adequar as ações culturais aos eixos estruturantes do programa da SEDAC, para que os projetos sejam realizados de forma democrática, plural, transversal e diversificados, e que se desenvolvam de maneira sustentável, valorizando a dimensão estética, cidadã e econômica da cultura, no sentido de inovar, promover e fomentar a produção artística contemporânea desenvolvida no Estado.

 

Confira o que acontece através do trabalho desta diretoria:

 

Projetos, parcerias e convênios  

  1. Projeto de intercâmbio – Semana da Cultura do Rio Grande do Sul no Uruguai;
  2. Projeto Música no Piratini;
  3. Projeto Romaria dos Mártires de Nonoai;
  4. Projeto de interiorização – Semana Farroupilha em Caçapava do Sul;
  5. Festejos Farroupilha da região do MTG, 30 shows;
  6. Convênio FestFotoPoa/Festipoa Literária;
  7. Convênio com a Funarte “Outras Danças”;
  8. Parceria com o Festival El mapa de todos;
  9. Programação cultural específica para a I Jornada da Diversidade e FST,
  10. Programação cultural específica para o Mês da Consciência Negra;
  11. Convênio Palmares – núcleo de formação de agente da juventude negra do  Rio Grande do Sul.
  12. Convênio para parceria com a Fundação Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul (a ser feito)

 

Movida Cultural

O programa Movida Cultural pretende ampliar e promover a circulação e trocas dos bens culturais existentes nas cidades do interior do Estado e na Capital, de forma a alcançar outros patamares de desenvolvimento da cultura do Rio Grande do Sul, valorizando a diversidade cultural local, de forma a superar a visão tão somente de cultural tradicionalista gaúcha, oferecendo suporte para outros modos sustentáveis da produção da arte, capacitando para a incorporação e assimilação de novos conceitos estéticos, de maneira a lançar novos desafios, desencadeando assim,  outros olhares e  outras percepções acerca do processo criativo e artístico da cadeia produtiva em âmbito local, regional e nacional.

 

Casa de Cultura Mario Quintana

Edital para ocupação de espaços: recebimento de projetos e novos desafios. Os artistas interessados em participar devem apresentar projetos privilegiando a imagem.

  • Apresentações de música, teatro e circo no Quindim do Quintana – todas as quintas-feiras na Travessa dos Cataventos;
  • Apresentações de música no Jardim Lutzenberger – quinzenalmente às quartas-feiras;
  • Oficineiros para ministrar aulas para jovens e crianças (na Oficina de Arte Sapato Florido) em todas as linguagens artísticas;
  • Ocupação de salas para ensaios de grupos artísticos;
  • Edital e seleção pública para ocupação dos teatros Bruno Kiefer e Carlos Carvalho;
  • Chamada pública para oficineiros;
  • Chamada pública para ocupação de novos espaços (Sala A2B2)
  • Convocatória em arte contemporânea Horizonte à venda para ocupação do mirante do Jardim Lutzemberger;
  • III Festival de Esquetes da CCMQ – 57 apresentações toda segunda-feira.
  • Fórum Mundial da Bicicleta – Contou com a participação de 7 mil pessoas;
  • FIC LIVRE – shows musicais e números circenses;
  • Festa do Dia Internacional do Teatro, Nacional do Circo e Cinema Gaúcho - shows musicais, números de teatro e circo, projeções de curtas no Jardim, debates na Cinemateca;
  • Dia Internacional da Dança – apresentações e exposições de fotógrafos sobre o tema;
  • 6ª FestPoA Literária – cursos, oficinas, debates e palestras com escritores locais e nacionais;
  • IX FantasPoA/Festival Internacional de Cinema Fantástico;
  • II Sul-Sur/Semana da Cultura do Uruguai no RS – shows, debates e teatro;
  • 2ª edições do Conexões Globais
    • mais de 3,5 milhões de pessoas alcançadas no Facebook
    • mais de 1,6 milhões de usuários impactados no Twitter
    • 50.457 visualizações na transmissão ao vivo
    • 88.244 visualizações de páginas no blog do evento;
  • TEATRO DE FORA – peças e oficinas do Palco Giratório Sesc e do Festival de Teatro Brasileiro/Cena Paranaense;
  • Aniversário 107 anos de Mario Quintana – oficinas para crianças e adolescentes, lançamento de livros, debates, atrações musicais;
  • 13° Fórum Estadual de Museus;

NÚMEROS

  • Cinema - média de público entre 5 e 7 mil pessoas por mês;
  • Teatro - 57 espetáculos e 180 apresentações;
  • Teatro infantil - 24 espetáculos e 136 apresentações;
  • Música - 53 espetáculos e 63 apresentações;
  • Dança – 15 apresentações;
  • Circo – 15 apresentações;
  • 28 Exposições
  • 63 Oficinas
  • 17 lançamentos de livros

 

Projetos em desenvolvimento

Reativação do Núcleo de Artes Visuais (NAVI) – Coordena a Oficina Sapato Florido (público infanto-juvenil).

Abertura do Ateliê Publico – Novembro de 2013 – Selecionará projetos de residência, com a ocupação do ateliê por três meses em que os artistas podem utilizar o espaço para realizar seus trabalhos. O público pode observar a arte sendo construída.

Núcleo de Memória e Pesquisa – Já está em funcionamento. Cuida do acervo do poeta Mario Quintana e das demais obras de linguagem da CCMQ. Investimento de até 40 mil reais até dezembro de 2013.

Qualificação da sala A2B2 – Sala utilizada para pequenos espetáculos como monólogos e teatro de bonecos, que não necessitam de muito espaço. 30 mil reais em investimentos. Beneficiará por mês mais dez grupos de teatro que poderão utilizar a estrutura da sala.

 

Projeto de Restauro – Financiados pela lei Rouanet

Realizado em duas etapas, o restauro da CCMQ possibilitará a ampliação e a melhoria dos serviços da Casa de Cultura. A democratização do espaço passa pela reestruturação e adequação do prédio. Orçado integralmente em R$ 8 milhões de reais. Investimento total bancado pelo Banrisul. Projeto do Governo do Estado (proponente Associação de Amigos da CCMQ) aprovado pela Lei Rouanet.

1ª etapa – Restauração das fachadas e telhado. Esquadrias externas, recuperação de terchos de rebocos e adornos que estão se soltando, pintura.  Investimento de 4 milhões e 226 mil reais. Previsão de entrega da obra: dezembro de 2014.

2ª etapa – Modernização da Casa de Cultura Mario Quintana, com foco na acessibilidade, sinalética e climatização dos teatros. Investimento de 3 milhões e 774 mil reais. Previsão de entrega da obra: fim do primeiro semestre de 2014.

A entrada da Casa de Cultura Mario Quintana e a passagem pela Travessa dos Cataventos pela Rua Sete de Setembro foram bloqueadas para o início da restauração da Instituição por questões de segurança, ficando o acesso pela Rua dos Andradas. A CCMQ funciona normalmente durante as obras.

Termo de parceria entre o Banrisul, Governo do Estado, Secretaria do Estado da Cultura e Associação de Amigos da CCMQ assinado em dezembro de 2011.

A Casa de Cultura Mario Quintana tem 12 mil metros quadrados e recebe cerca de 15 mil visitantes por mês, o que torna a Instituição uma grande referência cultural.

 

Instituto Estadual de Artes Visuais – IEAVi

Voltado à divulgação da Arte Contemporânea no Rio Grande do Sul. Organiza encontros e debates para difundir e integrar os artistas gaúchos.Tem como objetivos destacar o trabalho de novos artistas contemporâneos e apoiar coletivos de arte (em seus espaços próprios). Mostrar o que é novo, abrir espaço, destacar o melhor da arte contemporânea. Visitação Galerias Augusto Meyer, Espaço Maurício Rosemblatt e Fotogaleria Virgílio Calegari.

Prêmio IEAVI

O prêmio é um incentivo à produção de Artes Visuais que oportuniza aos artistas apresentarem seus trabalhos e possibilita ao público o conhecimento do universo atual da arte contemporânea no Rio Grande do Sul. A mostra é dividida entre a Galeria Augusto Meyer, Espaço Maurício Rosenblatt e a Fotogaleria Virgílio Calegari. 36 artistas disputam um prêmio de 10 mil reais. Produção do catálogo do prêmio IEAVI. Para 2014, está prevista uma ampliação do prêmio. Na sua primeira edição, o prêmio teve 99 projetos inscritos e 18 selecionados. Na segunda edição, foram 60 inscritos e 21 selecionados. Na terceira edição, que acontece em 2014, são 69 inscritos e 18 serão selecionados;

CDE

O Centro de Desenvolvimento da Expressão é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado, de natureza educativa, artística e cultural, voltada para a realização de cursos e oficinas destinadas ao público infantil, juvenil e adulto; orientados por professores e especialistas em arte-educação. O exercícío com meios adequados tem por objetivo a fluência na construção e utilização de um vocabulário específico de cada linguagem expressiva: pinturas, desenhos, modelagens, gravuras, confecção de bonecos resultam únicos, tal como as vivências envolvendo emoção e mente que são intransferíveis.

 

Instituto Estadual de Música – IEM

O Instituto Estadual de Música foi criado pela Portaria nº 11 de 1990, da Secretaria de Estado da Cultura.  A proposta da atual gestão é o desenvolvimento equanime do setor da música no estado: artistas geradores de conteúdo, produtores, técnicos, difusores e o público consumidor de música.

O IEM elabora estratégias e programas para este desenvolvimento, como a formação da Plataforma RS de Música, que envolve a qualificação dos festivais independentes, o programa Luzeiros de oficinas de capacitação para o setor produtivo e o apoio a projetos de integração e intercâmbio.

Principais ações:

2011 – Mapeamento, apoio e fomento aos Festivais Independentes de Música do RS

Plataforma RS de Música – Consolidação de uma rede colaborativa de produtores culturais em diversas regiões do estado, estabelecimento do calendário de Festivais Independentes (Circuito Sul de Festivais) e intercâmbio de artistas, produtores e tecnologias;

Potencial de crescimento econômico e criativo local – disposição de critérios e diretrizes, ações transversais, editais de vivência para jovens aprendizes, formalização de produtores culturais e geração de trabalho e renda para a cadeia produtiva da música;

Edital FAC das artes – Prêmio Plataforma RS – 400 mil para 10 festivais independentes em 2013;

2012 – Financiamento público e desenvolvimento sustentável;

Orientação e acompanhamento na elaboração de projetos culturais para os Editais do FAC;

Formalização do trabalho na música: Cadastramento MEI de agentes culturais;

Programa Gaúcho de Microcrédito – Música RS – Crédito subsidiado à músicos, bandas, estúdios, escolas de música, empreendedores do setor produtivo da música. Investimento direto e acompanhamento gerencial;

Liberação de R$ 240 mil de setembro de 2012 a janeiro de 2013 para empreendedores da música na Região Metropolitana. Expansão do programa ao interior do estado;

2013 – Capacitação técnica do setor e compartilhamento de tecnologias e saberes

Programa Luzeiros de qualificação para o trabalho;

Oficinas gratuitas IGAP/IEM;

Home estúdio – Reaper (software livre de áudio);

Áudio Básico (Operação de P.A. e Monitor);

Coluna Luzeiros – IEM/UNIFDE – 10 municípios do estado em 2013;

Oficina de projetos FAC;

Transmissão on line Pós TV;

Levantamento de indicadores;

Intervenções artísticas.

 

Instituto Estadual de Cinema e Cinemateca Paulo Amorim

A Cinemateca Paulo Amorim é formada por três salas de cinema – Sala Paulo Amorim, Sala Norberto Lubisco e Sala Eduardo Hirtz – e tem a sua programação voltada para produções independentes, filmografia não comercial e filmes do circuito que estejam identificados com a produção autoral e/ou de arte.

Os preços dos ingressos são os seguintes:

R$ 8,00 inteira e R$ 4,00 meia nas terças e quartas-feiras

R$ 5,00 nas quintas-feiras – com exceção de feriados

R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia de sextas a domingos e em feriados

Meia-entrada para estudantes, pessoas com mais de 60 anos e correntistas do Banrisul.

PÚBLICO DA CINEMATECA PAULO AMORIM

2010

Filmes: 192

Público: 36.614

2011

Filmes: 242

Público: 50.334

2012

Filmes: 265

Público: 62.630

2013 (até 01/08)

Filmes: 144

Público: 37.371

Atividades Contínuas do Iecine

Editais;

Programação da Cinemateca Paulo Amorim;

Semana do Cinema Gaúcho;

Reuniões de trabalho no interior do RS;

Implementação de Cineclubes e capacitação para implementação e gestão de Cineclubes;

Apoio e implementação de Festivais de Cinema;

Intercâmbio permanente via Fórum Entre Fronteiras;

Curadoria para mostras e demais atividades relacionadas ao Audiovisual para eventos do Governo RS.

 

Instituto Estadual de Artes Cênicas – IEACen

O Instituto Estadual de Artes Cênicas – IEACen destina-se a atender as atividades que compõem as artes cênicas – circo, dança, teatro e ópera – em todo o estado do Rio Grande do Sul. O principal objetivo do IEACen é construir uma base sólida capaz de sustentar a continuidade da produção artística do estado e o acesso da população gaúcha à diversidade de linguagens e estéticas do setor.

 

Principais ações:

2011

Festival de Teatro do Vale do Paranhana – 9.000 participantes;

Festival de Teatro de Rosário do Sul – 8.000 participantes;

Festival de Teatro de Arroio dos Ratos – 6.000 participantes

Festival de Teatro de Dom Pedrito – 8.000 participantes;

Festival Art in Vento em Osório – 8.400 participantes;

Festival de Teatro de Três Coroas – 6.000 participantes;

Festival de Teatro Maxi em Cena – 6.200 participantes;

Total de todas as ações (incluindo as menores, fora da listagem): 59.810 participantes.

2012

Fórum Social Temático

Grupos participantes: 16

Público atingido: 10 mil pessoas

FESTIVAIS

Festival de Teatro de ITAQUI

10 grupos teatrais participantes

Público em geral – 1.500

Festival de Teatro de MAXIMILIANO DE ALMEIDA

14 grupos teatrais participantes

público em geral 1200

Festival de Teatro do Vale do Paranhana – ROLANTE

16 grupos participantes

Público em geral 2.100

Festival de Teatro de ROSÁRIO DO SUL

20 grupos participantes

Público em geral 2.600

Festival de Teatro de ARROIO DOS RATOS

15 grupos participantes

Público em geral 1.500

Festival de Teatro de GRAVATAÍ

21 grupos participantes

Público em geral 900

Festival de Teatro de OSÓRIO

16 grupos participantes

Público em geral 5.000

Festival de Teatro de TRÊS COROAS

11 grupos participantes

Público em geral 1.800

2013

FESTIVAL DE TEATRO BRASILEIRO – Cena paranaense

DATA: de 26/07 a 18/08

8 espetáculos paranaenses – 4.300 pessoas de público.

4 oficinas com o  apoio do IEACen, com 87 participantes.

PROJETO CAMINHOS CÊNICOS

O caminhos cênicos levou 72 oficineiros a 24 cidades do interior do RS.

Em 2014 se projeta 108 oficineiros para 26 cidades.

PROJETO CULTURAL VIVO ENCENA

O Vivo EnCena é uma iniciativa da Vivo que estimula o intercâmbio de projetos de artes cênicas.

MAIO: IEACen participou com 90 convidados  no debate sobre o processo de criação do espetáculo Hamlet, seguido de apresentação do mesmo. Público atingido: 379 pessoas

JULHO: O IEACen realizou a seleção para o Workshop Vivo EnCena: esculpindo o personagem. 23 participantes

 

Instituto Estadual do Livro – IEL

AÇÕES INSTITUTO ESTADUAL DO LIVRO (IEL)

PRÊMIO SCLIAR – 150 MIL PARA O AUTOR, 30 MIL PARA EDITORA, 5 MIL LIVROS para distribuição gratuita em pontos de cultura e bibliotecas públicas e comunitárias.

LIVROS E AUTORES VENCEDORES:

Em alguma parte alguma – FERREIRA GULLAR (PRIMEIRA EDIÇÃO DO PRÊMIO)

Enquanto água – ALTAIR MARTINS (SEGUNDA EDIÇÃO DO PRÊMIO)

AUTOR PRESENTE – MÉDIA DE 90 ENCONTROS POR ANO EM 2011 E EM 2012. (NÚMERO TRIPLICOU EM RELAÇÃO A 2010, QUANDO HOUVE 30 ENCONTROS.)

EM 2013, JÁ FORAM REALIZADOS 85 ENCONTROS ATÉ AGORA (setembro). AO TODO, DEVEM FICAR POR VOLTA DE 140 ENCONTROS NESTE ANO.

CACHÊ DOS AUTORES DOBROU (EM COMPARAÇÃO COM 2010: DE R$ 250,00 PARA R$ 500,00

TRANSVERSALIDADE COM SEDUC – R$ 1250,00 PARA CADA ESCOLA ADQUIRIR LIVROS DO AUTOR (até 2010, as escolas não recebiam os livros para trabalho prévio, o que prejudicava os encontros).

NOVOS AÇÕES DO AUTOR PRESENTE – DESDE 2012: AUTOR NA BIBLIOTECA

DESDE JANEIRO DESTE ANO: AUTOR NA PAZ (TERRITÓRIOS DE PAZ, PRESÍDIOS, FASE, ASILOS, CRECHES) – Os PoETs no Madre Pelletier; Paulo Seben no Presídio Central e na Fase; Celso Gutfreind na Vila de Passagem (assentamento de famílias no bairro Rio Branco, em Canoas; entre outros – mais de 30 até setembro deste ano.

PLANO DE EDIÇÕES – 23 livros entre 2012 e 2013 – três deles livros eletrônicos, para baixar gratuitamente. Um deles audiolivro acessível no formato Daisy.

12 LIVROS EM 2012

11 EM 2013 (ATÉ AGORA – TRÊS DELES E-BOOKS)

PROSA NA ESTRADA – Iniciativa do IEL, ação transversal com Daer, contando ainda com parcerias da AGEs, Corag, ATI, Celulose Rio-grandense. Contos e minicontos de autores do RS em 100 mil folhetos distribuídos gratuitamente em ônibus intermunicipais.

REVISTA VOX – relançada em 2011, em parceria com a Corag. Até o momento, cinco edições de 3500 exemplares cada, distribuídos gratuitamente. Versão digital disponível no blog do IEL.

PELLL – Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura, construído com representantes das cadeias produtiva e criativa do livro, bibliotecários, universidades.

MOMENTO IEL – parceria com o programa TONS E LETRAS, DO LUÍS DILL, QUE VAI AO AR NA RÁDIO FM CULTURA (107.7) todos os sábados, das 11h ao meio-dia – por volta de 40 programas gravados. (Transversalidade/democratização do acervo)

TV IEL – mais de 40 programetes, cerca de 20 fazem parte da campanha da Associação Lígia Averbuck para atrair novos sócios. Nos outros 20, autores gaúchos dizem trechos de livros publicados pelo IEL. Exibidos na TVE (transversalidade/democratização do acervo)

PONTOS DE LEITURA NO LITORAL – ADESIVAGEM com obras da exposição A IMAGEM DA PALAVRA. Ação conjunta com Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas.

A IMAGEM DA PALAVRA – ate 22 de setembro na CCMQ, fotogaleria Virgílio Calegari – 7º andar – 15 poetas, 15 artistas visuais. (entre maio e junho de 2012 em Montevidéu). Ação conjunta com IEAVi. (Transversalidade/intercâmbio)

AUTORES CUBANOS NA FEIRA DO LIVRO DE POA 2012 – VIRGÍLIO LOPEZ LEMÚS E REINALDO MONTERO. (Intercâmbio)

COMITIVA À FEIRA DO LIVRO DE HAVANA, CUBA, LIDERADA PELO IEL – FEVEREIRO – JOSÉ EDUARDO DEGRAZIA E ANGELICA FREITAS – leituras, participação na feira do livro com um estande conjunto com a Embaixada do Brasil em Cuba, lançamento do Cadernos de otredadem e-book. (Intercâmbio)

A NOVÍSSIMA LITERATURA PORTUGUESA – 23/5 – Ruy Zink, Lídia Jorge, José Luís Peixoto, Patrícia Reis, Gastão Cruz. Mesa e debate no IEL (intercâmbio)

Teatro de Arena

O Teatro de Arena é caracterizado por uma história marcada pela resistência à ditadura e à censura, por ser um espaço de liberdade e de pesquisa, propício à experimentação, à discussão e ao debate. Em 2012, o Teatro de Arena de Porto Alegre completou 45 anos de existência e 21 anos de sua reabertura. Este local, tão importante para a cultura e para a história da cidade de Porto Alegre e para o Rio Grande do Sul, foi palco de arte e resistência à Ditadura Militar entre 1967 e 1979. Desde sua reabertura, em 1991, quando passou a pertencer à Secretaria de Estado da Cultura, é um espaço de pesquisa e reflexão em artes cênicas.

Em 2013, foi contabilizado um total de 140 eventos entre espetáculos teatrais, espetáculos musicais, leituras dramáticas, seminários, palestras, contação de histórias, oficinas e exposições.

Principais projetos

MUSIQUE – EDUCAÇÃO MUSICAL NO ARENA

O projeto propõe a iniciação musical de 15 crianças do ensino público que estejam em situação de risco, através da parceria entre Teatro de Arena e Estúdio Musique.

MÚSICA AUTORAL

O projeto Musica Autoral é uma parceria com o jornal Vaia e o músico Mozart Moreira e busca desenvolver um centro de pesquisa em música, a valorização de talentos gaúchos e compositores que buscam um espaço no mercado do Rio Grande do Sul e Brasil, através de shows realizados mensalmente no Teatro de Arena.

GRUPO PALHAFASIA

A afasia é um distúrbio de linguagem causado por dano neurológico adquirido em áreas do cérebro que são importantes para os processos de compreensão e/ou expressão da linguagem. O curso de Fonoaudiologia da UFRGS desenvolve um projeto interdisciplinar que conta com o apoio do Teatro de Arena. Trata-se do uso do teatro como meio de expressão para afásicos.

 

Orquestra Sinfônica de Porto Alegre

2011

AÇÕES DA OSPA

- 29 Concertos Oficiais, 3 Concertos Legais, 1 Concerto Especial, 2 Concertos Populares, 5 Concertos para a Juventude e 10 Concertos no Interior do Estado.

- Realização do tradicional Concurso Ospa para Jovens Solistas e Regentes, com o objetivo de oportunizar a jovens músicos a participação como solistas ou regentes da orquestra durante a temporada 2012.

- Instituição de uma comissão artística constituída por músicos da orquestra, representantes do conjunto, que junto à Direção Artística, elabora e organiza as temporadas, implantando um processo democrático de gestão artística.

ALCANCE TOTAL DE PÚBLICO

- 76.529 pessoas

DESTAQUES DA TEMPORADA ARTÍSTICA

- Concerto popular com Vitor Ramil, Nei Lisboa e Kleiton e Kledir no Parque da Redenção.

- 28º Concerto Oficial: “Carmina Burana”, de Carl Orff, com o Coro Sinfônico da Ospa e Coro Infantil do Colégio de Aplicação da UFRGS, além dos solistas Carla Maffioletti (Soprano), Eduardo Bighelini (Tenor) e Francis Padilha (Barítono), com regência de Manfredo Schmiedt

INVESTIMENTO DO ESTADO

R$ 10.524.865,00

ANDAMENTO DA SALA SINFÔNICA

- Foi lançada uma campanha de mobilização para a construção da Sala, colhendo mensagens de apoio de diversos formadores de opinião, autoridades, personalidades conhecidas e comunidade em geral, que resultou em um grande dossiê posteriormente entregue pelo Governador Tarso Genro à presidente Dilma Rousseff.

- Foi realizada licitação para contratação da empresa responsável pela primeira etapa das fundações do prédio (estaqueamento). A empresa Serki Fundações LTDA foi a vencedora.

2012

AÇÕES DA OSPA

- 23 Concertos Oficiais, 5 Concertos Legais, 8 Concertos Especiais, 5 Concertos para a Juventude e 10 Concertos no Interior do Estado.

- Concurso Ospa para Jovens Músicos: primeira edição da Etapa Jovens Compositores, que terão suas obras estreadas pela orquestra na temporada 2013.

- Elaboração e aprovação do Plano de Cargos e Salários da Fospa.

ALCANCE TOTAL DE PÚBLICO

55.783 pessoas

DESTAQUES DA TEMPORADA ARTÍSTICA

- Concerto no Teatro Solís, em Montevidéu. Solista: Yamandu Costa. Regência: José Maria Florêncio.

- Montagem da ópera “Cavalleria Rusticana”, de Mascagni, apresentada em três noites consecutivas no Theatro São Pedro. A Ospa não executava uma ópera na íntegra havia 10 anos.

INVESTIMENTO DO ESTADO

R$ 10.823.686,00

ANDAMENTO DA SALA SINFÔNICA

- Início das obras. Em janeiro, a empresa Serki começou a trabalhar no terreno. Em março, iniciou a primeira etapa das obras, o estaqueamento, finalizado em 25 de maio. Foram construídas 382 estacas, com profundidades que vão de cinco até dezesseis metros.

- No dia 3 julho de 2012, foi dado um passo importante para a viabilização deste projeto. Em decorrência de uma proposta de emenda ao orçamento da União feita pela bancada federal gaúcha, o Ministério da Cultura e o Governo do Estado firmaram convênio que define a liberação de cerca de R$ 19 milhões pelo ministério e a contrapartida do estado no valor aproximado de R$ 6 milhões.

- No dia 27 de julho, realizou-se a abertura dos envelopes da concorrência para a segunda etapa das obras. A Epplan Construtora LTDA foi a empresa vencedora. Dando prosseguimento às fundações do prédio, foram construídos 141 blocos de concreto armado nas cabeças de estacas para apoio de pilares.

- As duas primeiras etapas da obra foram financiadas por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, tendo como empresas patrocinadoras, o Banrisul, a Souza Cruz, a Vonpar, as Lojas Renner, a SulGás, a Randon, a Celulose Irani e a Habitasul, e como apoiadores a STIHL, o BarraShopping, a Marcopolo, a Pactum e o CIEE, através da Fundação Cultural Pablo Komlós.

2013

AÇÕES DA OSPA

- Sancionada Lei nº 14.183: dispõe sobre o Plano de Carreira e Vencimentos e reorganiza o Quadro de Cargos de Provimento Efetivo e os Cargos em Comissão e Funções Gratificadas da FOSPA. Implicações: aumento salarial; ampliação da orquestra e qualificação do setor; administrativo; suporte ao coro sinfônico e reabertura da Escola de Música da Ospa (Inativa havia 9 anos, a instituição oferece aulas gratuitas de música com os próprios músicos da orquestra, oportunizando a formação e a profissionalização de crianças e jovens de baixa renda).

- 22 Concertos Oficiais, 3 Concertos Legais, 1 Concerto Popular, 9 Concertos Especiais, 13 Concertos no Interior.

DESTAQUES DA TEMPORADA ARTÍSTICA

- Montagem da ópera “Fidelio”, de Beethoven, apresentada em três noites consecutivas no Theatro São Pedro, com ingressos esgotados.

- Concerto Popular, com Renato Borghetti, Os Fagundes e Nenhum de Nós reuniu 25 mil pessoas no Parque da Redenção.

- 12º Concerto Oficial: apresentação do Réquiem, de Verdi, com regência de Shinik Hahm e participação do Coro Sinfônico da Ospa.

INVESTIMENTO DO ESTADO

Previsão orçamentária: R$ 11.514.554,02

ANDAMENTO DA SALA SINFÔNICA

- Finalização da segunda etapa das fundações (blocos de concreto) em abril de 2013.

- Processo licitatório para terceira etapa das obras, a supraestrutura do prédio.

2014

- 25 Concertos no Interior do estado

Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul – MAC-RS

NÚMERO DE PÚBLICO REGISTRADO EM EXPOSIÇÕES (Nos livros de presenças das galerias – de jan 2011 a set 2013): 53.856 pessoas.

NÚMERO DE EXPOSIÇÕES REALIZADAS PELO COMITÊ DE ACERVO E CURADORIA DO MACRS e CURADORES CONVIDADOS (De jan 2011 a set 2013): 51 (Cinquenta e uma exposições)

NÚMERO DE ARTISTAS PARTICIPANTES DAS EXPOSIÇÕES NO MUSEU: 758 (Setescentos e cinquenta e oito artistas)

NÚMERO DE DOAÇÕES DE OBRAS DE ARTE PARA O ACERVO DO MACRS DESDE JAN 2011: 536 OBRAS DE ARTE (TÉCNICAS POR ORDEM QUANTITATIVA DE ENTRADA NO ACERVO: FOTOGRAFIA, VÍDEO, GRAVURA, PINTURA, DESENHO, ESCULTURA E INSTALAÇÃO)

 

NÚMERO DE OBRAS DO ACERVO EM JAN/2011: 230 (Duzentos em trinta obras de arte)

NÚMERO DE OBRAS DO ACERVO EM SET/2013: 766 (Setecentos e sessenta e seis obras de arte)

CRESCIMENTO DE 333,04% DO ACERVO MACRS.

 

SOBRE O PROJETO DA NOVA SEDE DO MACRS TEMOS A INFORMAR QUE JÁ FORAM DEFINIDAS POR EDITAL PÚBLICO FEDERAL AS EMPRESAS CONSTRUTORAS PARA A OBRA DE REVITALIZAÇÃO DO CENTRO CULTURAL IFRS/MACRS (antigo prédio da ULBRA SAÚDE e também da loja de departamentos MESBLA, na Rua Cel. Vicente, 281 Centro/PoA/RS – imagens anexas), ORÇADA EM R$ 3 MILHÕES DE REAIS E COM A INAUGURAÇÃO PREVISTA PARA MARÇO DE 2014 COM A SEGUINTE EXPOSIÇÃO DE ABERTURA:

 

MAC 21 – PRÊMIO MARCANTONIO VILAÇA FUNARTE/MINC /

MACRS/INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL

 

CURADORIA PAULO GOMES

 

ARTISTAS: ALFREDO NICOLAIEWSKY, CARLOS PASQUETTI, CARLOS VERGARA, CILDO MEIRELES, DENISE GADELHA, ELAINE TEDESCO, GIL VICENTE, HENRIQUE OLIVEIRA, JORGE MENNA BARRETO, LÚCIA KOCH, MARIA LÚCIA CATTANI, NELSON LEIRNER, PAULO BRUSCKY, REGINA SILVEIRA, ROCHELE COSTI, RODRIGO BRAGA, ROMMULO VIEIRA CONCEIÇÃO, ROSÂNGELA RENNÓ, SAINT CLAIR CEMIN, TETI WALDRAFF, WALMOR CORRÊA.

 

FINANCIAMENTO PROCULTURA/FUNARTE/MINC

 

Ainda sobre a sede estamos em fase de efetivação do contrato de convênio IFRS/SEDAC-RS e a elaboração do projeto museu gráfico para o local.